As nossas notícias

Grupo Vips volta aos lucros e acelera o crescimento em vendas e unidades

Madrid, 24 de junho de 2016 – O Grupo Vips fechou em 2015 o seu melhor ano desde 2008 com todos os indicadores positivos e iniciou uma nova etapa marcada pelo crescimento e pela recuperação da liderança. Concluído o Plano de Transformação, cujos resultados se reflectem claramente nas contas do Grupo, é o momento de ganhar tamanho e volume de negócio sem se desviar dos princípios básicos de inovação, qualidade, eficiência e foco no cliente que serviu de guia durante os anos de crise e que são os que permitiram ao Grupo transformar-se de forma tão profunda como o fez. 

Assim, o Grupo Vips aumentou as suas vendas (considerando o total do sistema) 5,5 em relação ao ano anterior até situá-las em 377,6 M.€ face aos 357,8 M.€ de 2014, graças em parte à estabilização da situação económica mas, principalmente, pelo efeito das melhorias na proposta de valor das distintas marcas e das melhorias de gestão e eficiência que se levaram a cabo nos últimos anos que lhes permitiu crescer de forma superior ao seu mercado comparável em 2015. 

 

Neste sentido, as marcas do Grupo pertencentes ao segmento “Casual Dining”, onde a empresa concentra perto de 70% da sua atividade, registaram um crescimentos acima da média do mercado de referência, aumentando a sua faturação nas cafetarias Vips 2,9%, nos restaurantes italianos Ginos 5,1% e na cadeia Fridays 2,8%. O segmento de Coffee Shops e de Fast Casual (restauração sem serviço de mesa mas de alta qualidade) também mostrou um crescimento com a Starbucks Espanha, Starbucks Portugal e VIPSmart,  a crescer 10,7%, 26,8% e 69,7%, respetivamente.

 

O Resultado Bruto de Exploração Recorrente (EBITDA recorrente) ascendeu a 23 M.€ o que representa um aumento de 13,2% em relação ao ano anterior. Neste sentido há que destacar que em 2015 o quadro do Grupo recuperou o nível salarial de 2012. Concretamente, em 2012, a retribuição de 2.500 colaboradores tinha sido reduzida entre 5% e 8%, em consenso com os sindicatos dos trabalhadores, e dentro das medidas tomadas para superar a crise. Consequentemente, em termos comparáveis, o aumento do EBITDA Recorrente é significativamente superior, alcançando de forma homogénea, os 25,3 M.€  e portanto um incremento de 24,5% versus ano anterior.

 

Ao mesmo tempo, o resultado líquido depois dos impostos situa-se em 1,5 M.€ face às perdas de 3,2 M.€ de 2014. A melhoria dos resultados da empresa e a possibilidade de acudir ao mercado para obter financiamento a custos mais competitivos permitiram o refinanciamento da divida existente por montante de mais de 26 M.€ e dispor de recursos adicionais para permitir, que em dezembro de 2015, a recompra de 49% da Starbucks Espanha que tinha sido vendido à Starbucks EMEA em 2013 assim como aumentar o ritmo de reformas e modernização da rede de estabelecimentos do Grupo. A conjugação da Starbucks aos resultados do Grupo é muito relevante e as perspetivas de crescimento também, pelo que contar de novo com 100% do capital é um marco muito positivo para a empresa. 

 

Como consequência destes investimentos, a dívida financeira líquida do Grupo situou-se no fecho de 2015 em 37 M.€  (face aos 11 M.€  de 2014). O novo financiamento alcançou os 70 M.€   - (um empréstimo sindicado de 50 M.€  e uma linha de revolving de até 20 M.€ , com um prazo de amortização final de 5 anos), assinado com um grupo de quatro bancos, BBVA (Sole Bookrunner, MLA e coordenador), Santander (MLA), Sabadell e Popular. 

 

O rácio da dívida financeira líquida sobre EBITDA Recorrente situa-se em 1,6x o que dá ao Grupo uma posição financeira excelente para poder continuar com a sua fase de crescimento e desenvolvimento. 

 

A Starbucks Espanha fechou um excelente ano de 2015 com um resultado líquido positivo de 2,8 M.€ face aos 852 000€ do ano anterior (227% mais que em 2014). Enquanto na Starbucks Portugal, o ano de 2015 tratou-se do primeiro ano desde a implantação da marca no mercado português no qual também regista um resultado líquido positivo, 82.000€, confirmando a boa evolução positiva da marca no país vizinho, que já registava desde 2012 EBITDA Recorrente positivo. 

 

Em relação ao crescimento, o ano de 2015 destaca-se por duplicar o número de aberturas líquidas em relação a 2014, que foi, por sua vez, o primeiro ano desde o início da crise no qual o Grupo registou um crescimento líquido de unidades. O Grupo realizou 31 aberturas - 12 próprias e 19 em Franchising - e 19 fechos, o que mostra um saldo líquido de 12 locais mais do que no ano anterior (quando se realizaram 6 aberturas líquidas). Desta forma a empresa fechou o ano com um total de 354 estabelecimentos em Espanha e Portugal face aos 342 de 2014. 

 

Destaca-se também o desenvolvimento da divisão de Franchising, uma das linhas de crescimento pelas quais apostou o Grupo no seu Plano de Transformação e que já soma 58 unidades (19 Ginos, 13 Vips, 14 VIPSmart, e 12 Starbucks em “Travel Channel” (10 em Espanha e 2 em Portugal). Este é um dos pilares sobre os quais o Grupo baseará o seu crescimento nestes próximos anos.

 

Além de acelerar o ritmo de aberturas para reforçar o crescimento e recuperar a liderança do setor, o Grupo Vips continuará com a sua política de renovação e reforma dos estabelecimentos de forma que, em finais do ano de 2017, 75% das unidades de Vips e Ginos disponham de uma nova imagem e ofereçam uma experiência 100% renovada aos seus clientes. Para isso o Grupo realizará um esforço de investimento importante nestas marcas, à volta de 25 M.€ , entre 2016 e 2017.

 

Do mesmo modo, a aposta pela digitalização continuará muito presente na estratégia da empresa para os próximos anos. O desafio mais destacável do último exercício nesta matéria foi a digitalização do Club VIPS com o lançamento de uma App inovadora em abril que superou os 400.000 downloads, muito acima do objetivo que o Club se tinha comprometido para o primeiro ano. Além disso, mais de 20% das transações realizadas pelos sócios do Club VIPS fazem-se através da aplicação e à volta de 40% das operações realizadas com a App que incluem o pagamento através do telemóvel. Estas percentagens estão a crescer mês a mês e demonstram a rápida adopção e valorização positiva das funcionalidades e serviços adicionais que oferece aos utilizadores esta ferramenta que permite aos sócios não só desfrutar das vantagens do Club VIPS, mas também de novas funcionalidades que enriquecem a sua experiência nos estabelecimentos do Grupo VIPS.

 

Quanto a projeções do Grupo para o ano de 2016, a empresa prevê fechar o ano com um aumento relevante da sua facturação e com perspectivas de melhorar a média dos mercados comparáveis, estando previsto superar as 40 novas aberturas, entre unidades próprias e Franchising, ao longo do presente ano, aspetos que se traduzirão num crescimento significativo também do EBITDA recorrente.